• Joel Balsinha

Jovens fazem viseiras para instituições da região


Seis jovens juntaram-se aos poucos, desde o passado dia 24, com um propósito comum de auxílio com a entrega de material de proteção para quem mais necessite. Os bombeiros voluntários de Alhandra e de Vila Franca (BVA), o Centro de Saúde e a

Associação do Hospital Civil e Misericórdia de Alhandra (AHCMA) foram as entidades até agora premiadas com este ato de generosidade gratuita. Sem apoios de qualquer empresa até ao momento, fizeram da sua boa vontade um gesto importante nos dias que correm em prol da comunidade. "A ideia surgiu da necessidade de falta de material

de proteção! Como tinha uma impressora 3d e ao saber de um grupo de Movimento Maker-Portugal, que começou uma iniciativa, desenvolveu um projeto, decidi imprimir uma para ver. Quando comecei não tinha ninguém em mente. Tornei público que planeava a impressão de viseiras de proteção e, rapidamente, obtive reações, sendo

uma delas de um bombeiro. Nem pensei duas vezes”, explicou Telmo Quaresma ao Voz Ribatejana. “As primeiras seis viseiras foram entregues aos bombeiros voluntários de Alhandra e quinze delas foram para entrega no Centro de Saúde de Alhandra, onze para a Associação Hospital Civil e Misericórdia de Alhandra e duas para os bombeiros

voluntários de Vila Franca de Xira. Todos os dias, se Deus quiser, vão sair mais para quem necessite", enunciou Telmo Quaresma, que inicialmente adaptou e aplicou sozinho a ideia do movimento criativo, sem nada que ter que ver com essa comunidade, que considerou benéfica, em prol da sociedade antes de começar a ter

ajuda de terceiros. A procura começou a ser grande, pelo que nos foi contado, face à escassez deste tipo de bens e consequentemente uma preocupação para quem de boa vontade produz, sem qualquer contra-partida, a não ser um simples obrigado. Os materiais necessários para a elaboração de viseiras foram filamento, folhas de acetato,

elásticos e uma impressora 3D. "Agora, com o número de pedidos a aumentar todos os dias, já começo a ter alguns apoios e tenho que falar no nomes deles. Alexandra Santos, Catarina Escada, Dina Brito, Diana Carvalho e Gonçalo Simões, que se juntaram a esta iniciativa. Estamos dois a imprimir e a receber material doado por amigos e

pessoas que nos querem ajudar nesta iniciativa. Os apoios iniciais foram só meus, com todo o mérito ao grupo de Movimento Maker - Portugal que começou a iniciativa e que desenvolveu o projeto. Temos duas impressoras a trabalhar 24/24h. Neste momento toda ajuda é bem-vinda. Temos contado com a ajuda de pessoas mais chegadas e da

terra. Neste momento até pensei em comprar outra impressora 3d para ajudar a aumentar a produção, mas não consigo suportar tudo sozinho... infelizmente", desabafou, após um dia cansativo de trabalho para poder dotar os profissionais de saúde, auxiliares e bombeiros com mais uns exemplares de proteção individual.

Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana

Tags:

Contador de Visualizações