• Jorge Talixa

Vilafranquense esteve a ganhar mas cedeu empate


A União Desportiva Vilafranquense esteve perto de somar a primeira vitória na nova época da II Liga, mas sofreu o golo da igualdade ao minuto 88. A equipa ribatejana apresentou vários reforços e demonstrou que tem, agora, plantel para subir na tabela. Com dois pontos somados saiu dos lugares de descida,


onde estão Farense e Académica. No seu segundo jogo à frente da equipa principal do Vilafranquense, o técnico Filipe Gouveia reformulou muito o onze inicial, fazendo entrar as novas contratações Marcos Valente, Fati e Nenê e regressar Simão Junior, Eric Veiga e Jaquité (estes dois últimos regressados das respectivas


selecções). Entrou melhor o Vilafranquense que, nos primeiros minutos pressionou mais a equipa transmontana mas, paulatinamente, os flavienses, com algumas ambições de lutar pela subida, foram conseguindo mais posse de bola. O médio Adriano Castanheira mostrava-se bastante activo e a bola foi


rondando a área ribatejana. Até que, ao minuto 19, Platiny foi lançado em profundidade e terá sofrido um toque de Mike Moura. O árbitro considerou que era motivo suficiente para a marcação de uma grande penalidade e “amarelou” o lateral de Vila Franca. Mas, na conversão da grande-penalidade,


Nuno Coelho atirou ao poste direito, a bola ainda ressaltou para um ombro do guardião Luís Ribeiro, mas acabou por saltar para fora da área. Respondeu o Vilafranquense ao minuto 27, com Fati a entrar na área e a atirar forte mas à figura do guardião do Chaves. O jogo manteve-se dividido e chegou ao intervalo sem golos.


Para o segundo tempo, Filipe Gouveia rearrumou a equipa, com as entradas de Wagner e de Leo Cordeiro e as saídas de Belkehir e de André Dias. Leo Cordeiro equilibrou mais o meio-campo, os ribatejanos passaram a ter mais posse de bola e a equipa passou a jogar mais em profundidade, com Wagner e Fati, velozes,


nos extremos e Nenê no centro do ataque. Foi assim que, ao minuto 60, Fati entrou na área e foi derrubado por Alessandro. Na conversão da grande-penalidade Nenê não perdoou, com o guarda-redes Samuel a cair para a esquerda e a bola a entrar junto ao poste contrário. Tentou reagir o Chaves com as entradas de


Paulinho, Batxi e Patrick Fernandes. Respondeu Filipe Gouveia com o reforço da defesa (três centrais) e a entrada de Gabriel. Ao minuto 80, o Vilafranquense esteve perto do 2-0 num remate forte de Nenê de fora da área. Mas, a dois minutos dos 90, de uma forma algo inesperada, os flavienses acabaram por chegar ao


empate, num grande remate de fora da área de Batxi. Com pouco mais de 5 minutos para jogar, o Vilafranquense ainda conseguiu criar algum perigo, mas o resultado já não se alterou. Um ponto importante, mas a forma como decorreu o jogo poderia ter proporcionado a primeira vitória aos ribatejanos.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações