• Jorge Talixa

“Campus de saúde” ganha forma em Arruda


Arruda dos Vinhos pode vir a acolher um “Campus de Saúde” multifacetado com valências de cuidados continuados, cirurgia, hospital de dia, consultas de especialidade e exames complementares de diagnóstico. O projecto, estimado em cerca de 20 milhões de euros, envolve uma parceria entre a Misericórdia local e um grupo especializado e poderá avançar para obras já em 2021. A Câmara de Arruda aprovou, recentemente,


por unanimidade, uma declaração de interesse público municipal do projecto, que precisará, ainda, do aval da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), uma vez que o estudo prévio já realizado prevê a construção de um edifício com quatro pisos, mais um do que o limite fixado pelo Plano Director Municipal (PDM) para esta área central da vila de Arruda.


Em causa deverá a estar a construção de um amplo edifício em terrenos da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos (SCMAV) situados nas traseiras do “antigo hospital” gerido por esta instituição. Para o novo “Campus de Saúde”, a SCMAV celebrou já um “pré-acordo” com um grupo especializado e a tramitação do processo vai seguir para a CCDR-LVT depois da declaração de interesse municipal aprovada nos órgãos


autárquicos concelhios. “Tínhamos um projecto elaborado para a ampliação da nossa unidade de cuidados continuados, que tem estado parado à espera de alguma comparticipação, o que até agora não aconteceu. E a Misericórdia não pode fazer um investimento dessa envergadura, não tem suporte para isso. Entretanto, surgiu um grupo interessado e esboçámos este pré-acordo para fazer uma unidade de cuidados continuados


para 80 camas, dois blocos operatórios com 16 camas, gabinetes de especialidades e todos os meios complementares de diagnóstico”, explica Carlos Lourenço, provedor da SCMAV, em declarações ao Voz Ribatejana, vincando que será uma obra importante para o concelho e para a região e que as estimativas realizadas apontam para 100 postos de trabalho directos e 50 indirectos. André Rijo,


presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos, reconhece a grande importância de um projecto como este para a vila e para o concelho. “É algo que me parece particularmente importante. Temos falado na ampliação da unidade de cuidados continuados que funciona no antigo hospital, mas desta feita o projecto é muito mais ambicioso, com a criação de um verdadeiro Campus de Saúde,


que me parece absolutamente estratégico e vital para o concelho. Temos forçosamente que estar ao lado deste projecto da Santa Casa da Misericórdia”, observou o autarca do PS na penúltima sessão camarária, explicando a proposta de declaração de interesse municipal na instalação deste Campus de Saúde. “O que propus à Santa Casa da Misericórdia foi avançarmos com uma proposta de suspensão parcial do PDM,


que permite excepcionar a existência desta construção com um piso superior ao que permite o PDM”, acrescentou André Rijo, frisando que para o lado da Avenida Brito da Conceição a volumetria de quatro pisos não será sensível, porque o terreno está a uma cota inferior ao arruamento. “O impacto desta construção vai sentir-se sobretudo na parte do alçado virada para o antigo hospital,


porque vai sobrepor-se nas traseiras desse edifício, já com quase 500 anos, de uma forma muito significativa”, admitiu André Rijo, acreditando que a importância do projecto justifica a excepção e que a CCDR-LVT entenderá esta pretensão.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações