• Jorge Talixa

Alhandra recebe triatlo internacional


Alhandra volta a ser a capital do triatlo já no próximo fim-de-semana, com a realização de três competições internacionais, numa organização conjunta da Federação Portuguesa da modalidade, da Câmara de Vila Franca de Xira e do Alhandra Sporting Club. Está prevista a presença de mais de 200 atletas.

A equipa júnior do Alhandra vai tentar revalidar o título europeu de estafetas mistas (foto). A realização das provas obrigará a algumas restrições de circulação na Estrada Nacional 10 e no interior de Alhandra. Este fim-de-semana dedicado ao triatlo arranca, no dia 10, com uma prova da Taça do Mundo de Paratriatlo.

“Uma competição de distância sprint que integra atletas de alto nível e que ocorre pela terceira vez no nosso país. A prova conta com cerca de 61 atletas de sete categorias (mais 18 atletas guias da categoria PTVI) pertencentes a 20 nacionalidades. Ainda no dia 10, Alhandra recebe o Campeonato do Mediterrâneo de Triatlo,

uma prova que deverá contar com cerca de 30 atletas femininas e 50 atletas masculinos, oriundos de 15 países diferentes. Para dia 11 está reservado o Campeonato Europeu de Clubes de Triatlo por Estafetas Mistas, nas categorias elite e júnior. “Os quatro atletas que compõem a equipa,

duas atletas femininas e dois atletas masculinos, terão que cumprir cada um deles um triatlo super sprint sem paragens de cronómetro. O segmento da natação é realizado no rio Tejo, o ciclismo percorre o troço da Estrada Nacional 10 entre Alhandra e o Sobralinho e o Passeio Ribeirinho, entre Alhandra e Vila Franca de Xira,

será o palco do segmento da corrida”, explica a Câmara vila-franquense. Benfica, Sporting e OutSystems de Oeiras são candidatos ao título de elites e o Alhandra vai tentar revalidar o título júnior conquistado em 2019. António Félix, vereador com o pelouro do desporto na Câmara de Vila Franca,

realça o reconhecimento das federações portuguesa e europeia, que decidiram voltar a realizar estas provas em Alhandra e no concelho. Cláudia Martins, vereadora CDU, lembrou os transtornos causados em 2019, em que não terá sido possível sair da vila de automóvel durante várias horas e quis saber se essa situação foi melhor prevenida para este ano.

“Só não provoca constrangimentos quando não se faz. Há sempre constrangimentos, mas a vila não esteve isolada. Na ponte norte houve sempre um corredor de saída para situações de urgência”, afiançou António Félix, garantindo que sempre que necessário as pessoas poderão sair de Alhandra, excepto quando os atletas estiverem a passar.

Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações