• Jorge Talixa

Falta de camas obriga a “desviar” doentes urgentes


A urgência do Hospital de Vila Franca de Xira esteve durante cerca de 10 horas sem receber doentes encaminhados pelo CODU (112 e bombeiros). A falta de camas para internamento e uma afluência muito elevada na urgência obrigou a acionar o plano de

contingência e a “desviar” doentes para outras unidades da região. Ainda não há sinais do habitual “pico” da gripe no Hospital vila-franquense e a situação de “congestionamento” pode repetir-se nos próximos dias. A afluência muito elevada de

utentes ao Serviço de Urgência (SU) e a falta de camas para internamento levou o Hospital de Vila Franca a entrar em “contingência máxima” na tarde desta segunda-feira. A unidade solicitou transitoriamente o “desvio” de utentes encaminhados pelo CODU (Centro de Orientação de Doentes Urgentes) para outros hospitais da região de

Lisboa, medida que vigorou, aproximadamente, entre as 20h00 de segunda-feira e as 6h00 de terça-feira. A partir daí, de acordo com o Hospital vila-franquense (HVFX), a situação voltou à normalidade. Segundo a mesma fonte do HVFX, o Serviço de Urgência do Hospital “nunca esteve fechado” e, mesmo na fase de “desvio” de doentes

para outras unidades, continuou a receber todos os utentes que ali se dirigiram pelos seus próprios meios. Há, no entanto, relatos de alguns doentes que se queixam de demoras elevadas no atendimento. Na tarde de segunda-feira, perante a ocupação muito elevada dos espaços de internamento e um aumento significativo da afluência à

urgência, os responsáveis do HVFX accionaram o “Plano de Contingência” e solicitaram ao CODU e à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo que adoptassem o procedimento de “desvio” temporário de doentes urgentes para outras unidades da região. O CODU passou, então, a encaminhar os doentes urgentes

oriundos dos cinco concelhos servidos pelo HVFX (Alenquer, Arruda, Azambuja, Benavente e Vila Franca) para outras unidades hospitalares. “Existiu uma afluência muito significativa ao Serviço de Urgência, encontrando-se o nível de utentes internados igualmente muito elevado, pelo que o Hospital, em coordenação com a ARSLVT,

solicitou ao CODU que, provisória e excepcionalmente, não enviasse mais utentes para o seu Serviço de Urgência. A solicitação para desviar temporariamente os doentes foi totalmente revertida esta madrugada, encontrando-se a situação regularizada”, sustenta um comunicado do HVFX.

Saiba mais na Edição impressa de 03 de Janeiro do Voz Ribatejana

Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações