Luís Grilo contratou sete seguros meses antes de morrer

03/04/2019

O Ministério Público acusa a viúva de Luís Grilo e o seu alegado amante de terem planeado, pelo menos com sete semanas de antecedência, a morte do triatleta ocorrida no Verão passado. A acusação, divulgada na semana passada, afirma que o casal de amantes pretenderia assumir publicamente a relação e beneficiar do património e

 

das indemnizações dos seguros contratados por Luís Grilo. Estranho é que Luís Grilo, de acordo com o Ministério Público, tenha contratado sete seguros entre Dezembro de 2017 e Abril de 2018. A maior parte deles abrangiam riscos de morte ou de invalidez relacionados com eventuais acidentes e previam indemnizações para os herdeiros

 

que poderiam somar mais de 500 mil euros. Os advogados de defesa dos dois arguidos deste caso parecem, entretanto, seguir estratégias diferentes. A advogada de Rosa Grilo diz que pondera com a sua cliente a possibilidade de requerer a abertura de instrução – fase em que o processo é apreciado por um juiz que decide se

 

segue ou não para julgamento. Já o advogado de António Joaquim garante que não vai pedir a abertura de instrução e que, perante o teor da acusação, acredita que é “provável” a absolvição do seu cliente. “Compete ao MP provar a culpa e não compete ao arguido provar a sua inocência, ainda que, no caso em concreto, após a

 

leitura do despacho de acusação e a análise do raciocínio e dos argumentos aí expostos, seja de concluir pela provável absolvição do arguido em sede de julgamento”, disse Ricardo Serrano Vieira ao Voz Ribatejana. Já sobre a decisão do MP de requerer um julgamento com “Tribunal de Júri”, Ricardo Serrano Vieira diz que para a defesa

 

do arguido é uma situação “irrelevante”, atendendo à convicção de que não há no processo provas que incriminem António Joaquim. Tânia Reis, advogada de Rosa Grilo, considera que o Tribunal de Júri não deverá ser favorável à sua cliente e adianta que a viúva vai manter a versão de que foi um grupo de angolanos a matar Luís Grilo.

 

Saiba mais na edição impressa de 10 de Abril do Voz Ribatejana

 

Tags:

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Please reload

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Please reload

Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site
Please reload

Contador de Visualizações

© 2017 por Voz Ribatejana. Todos os direitos reservados.

Informações

Voz Ribatejana - Quinzenário regional

Sede da Redacção e Administração: Centro Comercial da Mina, Loja 3 - Apartado 10040 / 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281329

Correio Electrónico: vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com
Proprietário: Jorge Humberto Perdigoto Talixa

Editor: Voz Ribatejana, Lda

Director: Jorge Talixa (carteira prof. 2126)

Editor Multimédia: Rui Miguel Ferreira Talixa

Redacção: Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Joel Balsinha, Hugo Clarimundo, Jesus Lourenço, Hipólito Cabaço, Paula Gadelha (cart. prof 9865)

Área Administrativa e Comercial: Isabel Pinto, Júlio Pereira (93 88 50 664), Afonso Braz (93 66 45 773), Carlos Pinto (96 44 70 639)

Assinaturas: Portugal – 1 ano (24 números) 12 euros - Resto da Europa - 1 ano 40 euros Registo de Imprensa na ERC: 125978

Impressão: Coraze
Redacção: Centro Comercial da Mina, Loja 3 2600 Vila Franca de Xira - Telefone - 263 281 329 . Telemóvel - 96 50 40 300