• Jorge Talixa

Volta a Portugal passa longe de Vila Franca de Xira


Depois de três anos consecutivos de presença destacada no percurso da Volta a Portugal em Bicicleta, desta vez Vila Franca de Xira vai ficar longe da grande prova do ciclismo português, que arrancou, ontem, em Setúbal. O percurso delineado para a 80ª. edição da prova não atravessa sequer o distrito de Lisboa e, nessas condições, apesar das tentativas da Câmara vila-franquense, a Volta não passará este ano pela nossa região. A edilidade promete voltar a tentar nos próximos anos, mas há dúvidas também para 2019, devido ao traçado previsto.

A grande prova do ciclismo português decorre de 1 a 12 de Agosto. Depois do prólogo em Setúbal, seguiu hoje para o Algarve e atravessa, depois, o interior do país em direcção ao Norte. Passa pela Serra da Estrela e por Viseu e segue, depois, em direcção ao Minho, onde termina com um contra-relógio centrado em Fafe. A questão foi colocada em recente reunião camarária pela vereadora Cláudia Martins (CDU), que quis saber as razões deste “afastamento” de Vila Franca de Xira. “Já saiu o percurso da Volta em 2018 e qual não é o nosso espanto quando

percebemos que, este ano, Vila Franca de Xira não é opção. No ano passado, o presidente disse que esta era uma aposta para continuar. Mas, afinal, Vila Franca de Xira foi trocada por outras localidades, até por uma aldeia chamada Burinhosa”, estranhou a eleita da CDU. Alberto Mesquita, presidente da edilidade vila-franquense, observou que tem bem guardado na memória o que disse sobre esta matéria, garantindo que a Câmara está muito disponível para que a Volta venha a Vila Franca. “Acontece, porém, que a empresa que faz a Volta Portugal decidiu

ter um outro trajecto em que não é adequado vir a Vila Franca de Xira em 2018. Poderá vir em 2019, 20 ou 21. Não sabemos, logo se verá. Colocámos isso e continuamos disponíveis para colaborar. Mas este ano, a organização decidiu fazer o trajecto por outras zonas que não se encaixam com a passagem por Vila Franca. Temos pena, mas é o que é”, constatou o edil. Já António Félix, vereador responsável pelos pelouros do turismo e do desporto, que esteve mais envolvido nos contactos com a organização da Volta, explicou que a prova portuguesa está numa

espécie de terceira divisão do calendário internacional e não pode ter mais de 10 dias de duração, nem ultrapassar um determinado limite de quilómetros. “Isso levou a que o calendário da Volta este ano não venha à região de Lisboa. Estive várias vezes com o Joaquim Gomes (director da prova), falámos imenso da possibilidade Vila Franca de Xira, mas este ano a Volta não vem à região de Lisboa”, explicou António Félix, frisando que o Município já está a desenvolver esforços para que na edição de 2019 a Volta regresse Vila Franca. “Mas teremos

novamente um problema, porque em 2019 muito provavelmente vai acabar no Porto. Vamos continuar esta luta, mas não é fácil, porque em todos os percursos há sempre também a obrigatoriedade de passar pela Serra da Estrela e pela Senhora da Graça”, vincou o eleito do PS.

Saiba mais na Edição impressa de 01 de Agosto do Voz Ribatejana

Contador de Visualizações