• Jorge Talixa

Danos da fuga de toiro ultrapassam os 25 mil euros


Os danos provocados em viaturas pelo toiro que, em Agosto, fugiu do recinto das largadas das Festas de Arruda rondam os 25 mil euros. As indemnizações foram assumidas pela companhia seguradora, que suporta também os valores dos encargos com baixas médicas e despesas de saúde das quatro pessoas que sofreram ferimentos.

O executivo camarário arrudense reuniu, no dia 28, com as pessoas que sofreram danos físicos, numa reunião onde foram abordadas as conclusões do inquérito, “as perspetivas de alterações futuras a implementar neste tipo de festejos e a questão do ressarcimento de todos os danos, com a seguradora”. O inquérito aberto na sequência deste incidente ocorrido na tarde de 16 de Agosto foi também apresentado na reunião camarária de 8 de Janeiro.

De acordo com André Rijo, presidente da Câmara de Arruda, os danos patrimoniais nas mais de 20 viaturas afectadas foram avaliados por peritos e estimados num valor total de cerca de 25 mil euros. Destes, perto de 20 mil já foram pagos e os restantes aguardam a entrega de alguns documentos.

No que diz respeito às despesas de internamento, segundo o edil, também já está tudo regularizado pela seguradora e falta apenas resolver as questões relacionadas com baixas médicas, que “estão a ser ultimadas”.

Uma das principais conclusões/recomendações do inquérito aponta para a elaboração de um manual de procedimentos a seguir na colocação das tronqueiras que vedam o recinto (extenso) onde decorrem as tradicionais largadas de toiros de Arruda.

André Rijo adianta que já na próxima semana terá lugar a primeira reunião alargada com os serviços da autarquia, as ganadarias e as tertúlias para iniciar a elaboração desse manual, que deverá ser aplicado nas festas de 2018.

“O episódio que se verificou, que lamentamos mais uma vez, pedindo desculpas pelo que aconteceu, no devia e não podia ter acontecido, mas aconteceu e pior seria nada fazer para evitar que estas situações se repitam.

Vamos continuar a defender as largadas das Festas de Agosto como património imaterial, estamos a preparar a candidatura, mas tudo faremos também para que os riscos diminuam e para valorizar uns festejos e uma tradição que devem ser valorizados”, conclui.

Recorde-se que a fuga do toiro (posteriormente laçado e devolvido ao recinto das largadas) originou danos em cerca de 25 viaturas e ferimentos em quatro pessoas. Um jovem e um idoso sofreram ferimentos mais graves, com perfurações. Um bebé que familiares transportavam num carrinho sofreu escoriações ligeiras.

Saiba mais na edição impressa de 17 de Janeiro do Voz Ribatejana

Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações