• Jorge Talixa

Vila Franca inaugura escultura de homenagem a Victor Mendes


Uma escultura de homenagem ao matador de toiros Victor Mendes foi inaugurada, no passado sábado, em Vila Franca de Xira. Um monumento que vai perpetuar o nome e a carreira do toureiro natural de Marinhais, mas que desde os seus 4 anos reside em Vila Franca. Com esta inauguração,


a Câmara vila-franquense culmina um ciclo de homenagem aos quatro principais matadores de toiros ligados à cidade ribatejana. Uma escultura da autoria de Paulo Moura que fica colocada na Travessa do Terreiro (junto ao tanque das lavadeiras), zona da cidade onde Victor Mendes passou momentos importantes


da sua infância e onde começou a “brincar” aos toureiros. O sonho fez-se realidade, a realidade superou até as expectativas iniciais do toureiro e, como um dos grandes representantes do toureio a pé português no panorama mundial, Victor Mendes vê, assim, perpetuada a memória da sua carreira.


Com esta inauguração, a Câmara de Vila Franca de Xira culminou o ciclo de homenagens aos quatro principais matadores de toiros da cidade (José Júlio, Mário Coelho, José Falcão e Victor Mendes), mas o ainda presidente da autarquia, Alberto Mesquita, não excluiu a possibilidade dos seus sucessores


virem a dar continuidade a esta política de valorização do património e das figuras ligadas à tradição tauromáquica vila-franquense. O crítico taurino e jornalista Francisco Morgado fez o retrato de Victor Mendes, vincando que, “na sua sala de troféus, estão os mais importantes dos matadores de toiros.


Foi adorado pelo público, pela simples razão de que foi honrado na sua profissão, numa carreira baseada no respeito pelo público, no compromisso e no ser solidário”, referiu Francisco Morgado. Depois, o crítico taurino acrescentou que, ao longo da sua carreira como matador, Victor Mendes toureou cerca de 3 mil toiros

em cerca de 1200 corridas. Até que, a 30 de Setembro de 2001, na praça da sua Vila Franca de Xira, com alguma surpresa, Victor Mendes deu por encerrada a sua carreira como matador de toiros. Francisco Morgado lembrou, todavia, que o toureiro não se desligou de modo nenhum da tauromaquia e continua


a transmitir a sua experiência e os seus conhecimentos aos jovens alunos da Escola de Toureio José Falcão, de que é director técnico. “Victor Mendes é um dos grandes matadores vila-franquenses, reconhecido nacional e internacionalmente”, observou, por seu turno, Alberto Mesquita,


considerando que esta escultura “é mais uma justa homenagem que, com todo o gosto, lhe prestamos”. Acompanhado pelos seus pais e por muito amigos e admiradores, Victor Mendes não escondia o seu nervosismo e a emoção do momento. “Há momentos em que não há palavras”, confessou.


“Num trajecto profissional como o meu, em que embora existisse essa ambição e esse afã da superação, é muito difícil estar num mundo que é altamente selectivo e elitista. Um jovem tem que ser capaz de ser persistente durante muitos anos”, vincou Victor Mendes, agradecendo ao presidente da Câmara e a todos


os que permitem que se mantenha e que defendem a identidade ribatejana. “Só com muita entrega, entrega total, se conseguem esses objectivos. O jovem Victor Mendes teve um sonho de ser matador de toiros, quis o destino que fosse muito mais para além talvez, mas foi também marcado por uma época em que viveu,


uma época em que, sobretudo, ficou o reconhecimento dos vivos e dos que hoje já não estão connosco. Bem hajam”, rematou o homenageado.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana


Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações