• Jorge Talixa

838 assinam contra estacionamento pago no Hospital


Um abaixo-assinado com 838 subscritores foi entregue na Câmara de Vila Franca de Xira, reclamando medidas que minimizem o impacto dos aumentos no estacionamento que os trabalhadores do Hospital vila-franquense têm que pagar para se deslocarem para o local de trabalho. O documento sublinha que,


para muitos, este aumento significa que têm que gastar quase um ordenado por ano para pagar o estacionamento. O aumento de 100 por cento (15 para 30 euros mensais) no preço das avenças de estacionamento cobradas aos funcionários do Hospital de Vila Franca de Xira (HVFX)


continua a dar polémica. Um abaixo-assinado contra este agravamento dos preços praticados pela empresa que explora o estacionamento na área do Hospital recolheu, em poucos dias, 838 assinaturas, que correspondem a mais de metade dos cerca de 1500 funcionários do HVFX. O documento foi entregue,


na semana passada, na Câmara de Vila Franca, com conhecimento aos partidos com assento na Assembleia Municipal. E reclama soluções de estacionamento nesta unidade hospitalar. “Sem alternativas de estacionamento, "heróis" da pandemia viram reféns de empresa de estacionamento (Saba Portugal, SA).


A gestão privada que explora parqueamento do Hospital de Vila Franca de Xira, EPE ditou preços e aumenta em 100% a avença de parque aos funcionários”, acusam os promotores do abaixo-assinado, frisando que o Hospital de Vila Franca de Xira, EPE “paga salários mínimos e a empresa de estacionamento cobra cerca de 1 salário mínimo/ano a estes trabalhadores”. A administração do HVFX já explicou, recorde-se, que


“a gestão do parque de estacionamento do Hospital é da responsabilidade da entidade privada que faz a gestão do edifício” e que conselho de administração “não tem, nem pode ter, qualquer intervenção no tarifário do parque de estacionamento, que é da responsabilidade da referida empresa,


e foi aprovado em setembro de 2020”. “Durante o período de transição de um ano para a gestão EPE, manteve este Conselho de Administração essa comparticipação à empresa, relativa a colaboradores titulares de avença. Findo o prazo de transição para EPE, a 31 de maio de 2022,


deixa de haver enquadramento legal que permita a continuidade desta comparticipação direta à empresa privada que gere o estacionamento”, acrescentam os responsáveis do HVFX, assegurando que desenvolveram todos os esforços junto da empresa que detém a gestão do edifício do Hospital e da empresa


(PNH) que explora os parques de estacionamento “para minimizar os constrangimentos que a impossibilidade legal de manter a comparticipação acarreta aos colaboradores e funcionários com avença mensal de estacionamento”. Nesse sentido, avançou o HVFX,


“das várias reuniões realizadas resultam algumas medidas concretas, nomeadamente, a aplicação de uma tarifa especial única, no valor de 30 euros, aos colaboradores que mantiverem ou solicitem avença de estacionamento até ao dia 30 de junho de 2022”.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações