• Jorge Talixa

Vila Franca quer portagens suspensas na A1


A Câmara de Vila Franca de Xira aprovou, na quarta-feira, por unanimidade, uma moção que exige à Brisa e ao Governo que suspendam as portagens cobradas no troço da Auto-Estrada do Norte (A 1) que atravessa a cidade. Em causa estão os “constrangimentos” à circulação originados pelas obras que a Brisa está a desenvolver na entrada sul de Vila Franca. As filas são extensas, sobretudo nas chamadas horas de ponta, e já se sabe que a

amplitude da intervenção vai levar a que os trabalhos decorram pelo menos até Dezembro, com uma paragem de um mês no período do Colete Encarnado. Esta empreitada de estabilização do talude e de um muro de suporte visa responder rapidamente a um abatimento que se agravou bastante nos últimos meses no troço da A1 (sentido sul-norte) situado junto à entrada sul de Vila Franca. A Brisa chegou a solicitar o corte total da circulação na vizinha

EN 10, mas a Câmara vila-franquense disse que jamais aceitaria esse bloqueio total do principal acesso sul à cidade. Certo é que os trabalhos, iniciados em Abril, só no final da primeira semana de Maio é que obrigaram ao condicionamento do trânsito na EN 10. A faixa mais próxima da A 1 está, agora, bloqueada por blocos de betão e a circulação faz-se, de forma alternada, pela outra faixa. As filas chegam a estender-se até Alhandra. Na manhã de

quarta-feira, eleitos locais da CDU distribuíram um documento aos automobilistas, acusando a Brisa de “impor graves constrangimentos ao trânsito na EN 10” e o executivo socialista da Câmara de assumir uma posição “passiva” e de “cumplicidade” com a concessionária de auto-estradas. Já na sessão camarária foi aprovada uma moção, apresentada pelos quatro vereadores da CDU, que exige a suspensão da cobrança de portagens entre os

nós Norte e Sul de Vila Franca de Xira, para que os automobilistas que assim o entendam possam utilizar a A 1 e evitar o troço condicionado da EN 10. O executivo camarário observou que a Brisa chegou a solicitar o corte total daquele troço da EN 10 no período, medida que a autarquia não aceitou. A Câmara colocou, também, a questão da suspensão das portagens, enviou dois ofícios à Brisa nesse sentido e, na falta de respostas, convocou a

empresa para uma reunião, prevista para a próxima semana, onde pretende discutir essa possibilidade. Tendo em conta a urgência da obra, o agravamento dos abatimentos na A1 e as condições técnicas da obra, o executivo municipal considera que não seria possível evitar o corte de uma das faixas da EN 10.

Saiba mais na edição impressa de 22 de Maio do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações