Trabalhadores da Sacopor reclamam aumentos e diuturnidades

17/04/2018

Trabalhadores da Sacopor, empresa do grupo Cimpor com instalações na Zona Industrial do Carregado, paralisaram esta segunda-feira, reclamando respostas concretas da administração ao caderno reivindicativo que entregaram a 8 de Fevereiro. O Sindicato das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente aponta para uma adesão da ordem dos 80 por cento nos dois turnos de uma unidade com 42 funcionários. Fonte oficial da empresa contrapõe que a adesão rondou os 60 por cento.

 

A Sacopor, especializada no fabrico de sacos de papel para cimento, fornece essencialmente as fábricas do grupo Cimpor. Segundo Ricardo Carvalho, dirigente sindical e funcionário da Sacopor, tem havido alguma redução nas encomendas, mas a empresa mantém um ritmo razoável de produção e tem apresentado resultados financeiros equilibrados. O problema é que, refere, os trabalhadores sentem que não têm o mesmo tratamento de colegas de outras empresas do grupo.

 

Considerando que os aumentos salariais dos últimos três anos têm sido “inferiores” a outras empresas do grupo, aprovaram, em plenário, um caderno reivindicativo que reclama aumentos de 4 por cento com um mínimo de 40 euros. Outro motivo de descontentamento é o facto desta empresa não praticar diuturnidades. “A maior parte das empresas do grupo tem diuturnidades e nós não temos mesmo”, sustenta Ricardo Carvalho, explicando que os trabalhadores esperam uma respostas que “respeite a dignidade das pessoas”.

 

Fonte oficial da Sacopor garantiu, por seu turno, ao Voz Ribatejana, que os trabalhadores da empresa tiveram, este ano, um aumento de 1, 8 por cento, igual ao de todas as outras empresas do grupo. “Sublinhamos que, nos últimos anos – não obstante as condições económico-financeiras adversas - a empresa tem sempre proporcionado um aumento salarial superior à inflação registada, garantindo ainda, para os níveis remuneratórios mais baixos, um aumento mínimo, que tem proporcionado a valorização dos salários”, sustenta a mesma fonte da Sacopor, assegurando que, “como foi e é pratica do Grupo Cimpor, a via do diálogo será sempre a escolhida para resolução destas questões”.

 

Saiba mais na Edição de 24 de Abril do Voz Ribatejana

 

Partilhar no Facebook
Partilhar no Twitter
Please reload

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Please reload

Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site
Please reload

Contador de Visualizações

© 2017 por Voz Ribatejana. Todos os direitos reservados.

Informações

Voz Ribatejana - Quinzenário regional

Sede da Redacção e Administração: Centro Comercial da Mina, Loja 3 - Apartado 10040 / 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281329

Correio Electrónico: vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com
Proprietário: Jorge Humberto Perdigoto Talixa

Editor: Voz Ribatejana, Lda

Director: Jorge Talixa (carteira prof. 2126)

Editor Multimédia: Rui Miguel Ferreira Talixa

Redacção: Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Joel Balsinha, Hugo Clarimundo, Jesus Lourenço, Hipólito Cabaço, Paula Gadelha (cart. prof 9865)

Área Administrativa e Comercial: Isabel Pinto, Júlio Pereira (93 88 50 664), Afonso Braz (93 66 45 773), Carlos Pinto (96 44 70 639)

Assinaturas: Portugal – 1 ano (24 números) 12 euros - Resto da Europa - 1 ano 40 euros Registo de Imprensa na ERC: 125978

Impressão: Coraze
Redacção: Centro Comercial da Mina, Loja 3 2600 Vila Franca de Xira - Telefone - 263 281 329 . Telemóvel - 96 50 40 300