• Jorge Talixa

Trabalhadores da Sacopor reclamam aumentos e diuturnidades


Trabalhadores da Sacopor, empresa do grupo Cimpor com instalações na Zona Industrial do Carregado, paralisaram esta segunda-feira, reclamando respostas concretas da administração ao caderno reivindicativo que entregaram a 8 de Fevereiro. O Sindicato das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente aponta para uma adesão da ordem dos 80 por cento nos dois turnos de uma unidade com 42 funcionários. Fonte oficial da empresa contrapõe que a adesão rondou os 60 por cento.

A Sacopor, especializada no fabrico de sacos de papel para cimento, fornece essencialmente as fábricas do grupo Cimpor. Segundo Ricardo Carvalho, dirigente sindical e funcionário da Sacopor, tem havido alguma redução nas encomendas, mas a empresa mantém um ritmo razoável de produção e tem apresentado resultados financeiros equilibrados. O problema é que, refere, os trabalhadores sentem que não têm o mesmo tratamento de colegas de outras empresas do grupo.

Considerando que os aumentos salariais dos últimos três anos têm sido “inferiores” a outras empresas do grupo, aprovaram, em plenário, um caderno reivindicativo que reclama aumentos de 4 por cento com um mínimo de 40 euros. Outro motivo de descontentamento é o facto desta empresa não praticar diuturnidades. “A maior parte das empresas do grupo tem diuturnidades e nós não temos mesmo”, sustenta Ricardo Carvalho, explicando que os trabalhadores esperam uma respostas que “respeite a dignidade das pessoas”.

Fonte oficial da Sacopor garantiu, por seu turno, ao Voz Ribatejana, que os trabalhadores da empresa tiveram, este ano, um aumento de 1, 8 por cento, igual ao de todas as outras empresas do grupo. “Sublinhamos que, nos últimos anos – não obstante as condições económico-financeiras adversas - a empresa tem sempre proporcionado um aumento salarial superior à inflação registada, garantindo ainda, para os níveis remuneratórios mais baixos, um aumento mínimo, que tem proporcionado a valorização dos salários”, sustenta a mesma fonte da Sacopor, assegurando que, “como foi e é pratica do Grupo Cimpor, a via do diálogo será sempre a escolhida para resolução destas questões”.

Saiba mais na Edição de 24 de Abril do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações

© 2017 por Voz Ribatejana. Todos os direitos reservados.

Informações

Voz Ribatejana - Quinzenário regional

Sede da Redacção e Administração: Centro Comercial da Mina, Loja 3 - Apartado 10040 / 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281329

Correio Electrónico: vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com
Proprietário: Jorge Humberto Perdigoto Talixa

Editor: Voz Ribatejana, Lda

Director: Jorge Talixa (carteira prof. 2126)

Editor Multimédia: Rui Miguel Ferreira Talixa

Redacção: Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Joel Balsinha, Hugo Clarimundo, Jesus Lourenço, Hipólito Cabaço, Paula Gadelha (cart. prof 9865)

Área Administrativa e Comercial: Isabel Pinto, Júlio Pereira (93 88 50 664), Afonso Braz (93 66 45 773), Carlos Pinto (96 44 70 639)

Assinaturas: Portugal – 1 ano (24 números) 12 euros - Resto da Europa - 1 ano 40 euros Registo de Imprensa na ERC: 125978

Impressão: Coraze
Redacção: Centro Comercial da Mina, Loja 3 2600 Vila Franca de Xira - Telefone - 263 281 329 . Telemóvel - 96 50 40 300