• Jorge Talixa

Vilafranquense regressa ao Cevadeiro mas sai da Taça


Quase 30 meses depois, a União Desportiva Vilafranquense voltou, este domingo, a disputar um jogo oficial no Campo do Cevadeiro. As bancadas estavam praticamente cheias, com mais de 1000 espectadores e a equipa ribatejana voltou a sentir o apoio próximo dos adeptos. Mas não foi suficiente para evitar a derrota,


por 0-1, frente ao Mafra e eliminação da Taça de Portugal. Frente a um adversário mais bem colocado na II Liga, o técnico Filipe Gouveia apresentou um onze muito semelhante ao dos jogos anteriores, em que se notava apenas as entradas do lateral Edu Machado para o lugar de Mike Moura e o regresso de Luís Ribeiro


à baliza. O Mafra apresentava-se quase na máxima força, com as ausências apenas do guardião titular Filipe Neves e do avançado Okitokandjo. Começou melhor o Mafra, mas o Vilafranquense respondeu bem. Logo aos 4 minutos, Rodrigo Martins obrigou Luís Ribeiro a uma boa defesa para canto. Três minutos depois,


Edu Machado e Belkheir combinaram bem pela direita, mas o remate foi rechaçado pela defesa mafrense. O jogo manteve-se equilibrado, com o Mafra mais consistente no ataque e o Vilafranquense a apostar mais no contra-ataque. Ainda na primeira meia-hora começou a destacar-se o guardião Luís Ribeiro,


com três excelentes defesas a remates de Andrézinho, Vítor Gabriel e Rodrigo Martins. Respondeu o Vilafranquense ao minuto 33, com Fati a obrigar Renan a sacudir para canto. Logo a seguir, nova boa jogada do Vilafranquense, com Edu Machado a cruzar na direita e Nenê a protagonizar um excelente pontapé

de bicicleta que passou perto do poste do guardião do Mafra. Uma jogada que despertou mais os adeptos ribatejanos, que puxaram mais pela equipa. Até final da primeira parte houve ainda algumas “ameaças” perto das duas balizas, mas o intervalo chegou sem golos. Para o segundo tempo, os técnicos Filipe Gouveia


e Ricardo Sousa não mexeram nas equipas e, ao minuto 51, Andrezinho protagonizou uma boa jogada, ganhou espaço à entrada da área e atirou, em jeito, ao poste da baliza do Vilafranquense. Respondeu de imediato a equipa de Vila Franca, com uma boa jogada entre Nenê e Fati,


que conseguiu uma nesga para rematar, mas atirou à figura de Renan. No meio de algum equilíbrio, acabou por ser Rodrigo Martins a fazer a diferença. O extremo do Mafra entrou pela esquerda e solicitou Vítor Gabriel que, a um metro da linha de baliza, se limitou a empurrar para o golo.


Os ribatejanos ainda reclamaram fora-de-jogo, mas o fiscal de linha não assinalou e o Mafra ganhou vantagem no marcador. Faltavam 20 minutos para o final da partida. Tentou reagir Filipe Gouveia, fazendo entrar o extremo Umaro Baldé para fazer todo o corredor direito, mas a equipa de Vila Franca revelava já


algum cansaço e o Mafra foi controlando os acontecimentos, deixando passar os minutos sem permitir grandes veleidades aos ribatejanos. Um resultado que se aceita, o Mafra criou mais jogadas de perigo, mas o empate e um eventual prolongamento também se ajustaria à produção das duas equipas.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações