• Jorge Talixa

Vila Franca quer realojar 111 famílias até 2025


Câmara de Vila Franca de Xira e Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana assinaram, esta sexta-feira, um acordo para a implementação do programa “1º. Direito” no concelho. Até 2025, a autarquia deverá investir cerca de 10 milhões de euros na criação de condições para realojar 111 famílias que, actualmente,


não têm uma habitação condigna. Construir habitação a custos acessíveis para casais jovens que se queiram fixar no concelho será o objectivo seguinte do Município vila-franquense. No âmbito da sua Estratégia Local de Habitação, a Câmara de Vila Franca de Xira identificou 165 famílias que necessitam de uma resposta


pública urgente ao nível da habitação porque vivem em condições consideradas indignas. Nesta primeira fase, ao abrigo do Programa “1º. Direito”, a autarquia propõe-se investir cerca de 10 milhões de euros na construção de novos fogos (Vialonga) e na reabilitação de fracções municipais actualmente devolutas em


vários pontos do concelho. O IHRU comparticipa com cerca de 4 milhões de euros e a Câmara suporta os restantes 6 milhões. Mas, vincou o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, se Vila Franca de Xira conseguir concluir estas 111 habitações dentro da meta de 26 mil traçada pelo Governo para


os próximos quatro anos, a administração central assumirá a verba investida pelo Município. Já Fernando Paulo Ferreira, presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, adiantou que, depois deste programa de 111 fogos, a autarquia quer ir mais longe no domínio da habitação, procurando,


com parceiros públicos e com parceiros privados, desenvolver novas respostas de habitação a “custos acessíveis” para jovens que querem constituir família e não conseguem ter acesso a uma casa ou para novos agregados que se queiram fixar no concelho. “Queremos apresentar soluções de renda acessível para um


público mais vasto e que anseia por uma oportunidade de sair de casa dos pais, construir novas famílias ou fixar-se no nosso concelho”, frisou Fernando Paulo Ferreira, que aproveitou, também, para sensibilizar o ministro para aspirações do concelho como a construção de um novo nó de acesso


à Auto-estrada do Norte nos Caniços (freguesia da Póvoa de Santa Iria), a reabilitação da Ponte Marechal Carmona e a construção da variante de Alverca.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações