• Jorge Talixa

Alenquer tem a factura da água mais alta


Um estudo da Deco Proteste comparou as facturas da água nos 308 municípios do País. A organização de defesa do consumidor detectou discrepâncias muito grandes entre os valores praticados. Na nossa região, o concelho de Alenquer tem a factura mais alta. Sublinhando que a factura da água envolve, também, as tarifas de saneamento e de resíduos, a Deco conclui que


“existem discrepâncias acentuadas” que chegam a superar os 400 euros anuais para consumos idênticos. “Os serviços de águas são comandados por numerosas entidades, com dimensão e capacidade financeira distintas, às quais falta um modelo de gestão com regras comuns”, salienta a Deco. Na nossa região, de acordo com a Deco, numa base média de consumo de 10 metros cúbicos de água por mês (120 por ano),


a factura mais alta é a de Alenquer. No município alenquerense, este consumo corresponde a um valor anual de 410 euros. Já a uma distância significativa, Azambuja tem uma factura anual de 359, 5 euros e Loures uma factura, pelo mesmo consumo, de 344 euros. Segue-se Arruda dos Vinhos, com uma factura por 10 metros cúbicos mensais de 336 euros e Vila Franca de Xira surge a seguir com 308 euros de


pagamento anual para um consumo deste tipo. Logo a seguir vem Sobral de Monte Agraço com 303 euros. Um dado que é evidente é que a factura da água e mais baixa nos concelhos do distrito de Santarém do que nos concelhos do distrito de Lisboa. Santarém, segundo a Deco, para esta base de consumo, tem uma factura de 257, 9 euros, seguida pelo Cartaxo com 275, 8 e por Benavente com 277, 1 euros.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações