• Joel Balsinha

Bombeiros têm drone para operações de socorro


O drone Mavic 2 Enterprise é o mais recente equipamento ao dispor do Corpo de Bombeiros de Samora Correia, desde o passado dia 13 de Agosto, para auxílio em missões de combate a incêndios, de busca e de salvamentos. Para os responsáveis da corporação, trata-se de um equipamento de grande utilidade,

capaz de transmitir imagens em tempo real para uma sala de operações ou posto de comando e de transmitir informação a potenciais vítimas, entre outras possibilidades. "Este drone destina-se a todas as operações de proteção e socorro onde se comprove a sua eficácia. Tais como, combate a incêndios rurais/urbanos como ferramenta de apoio à decisão e vigilância,

busca e salvamento com capacidade para transmitir informações a potenciais vítimas e capacidade própria de iluminação no período nocturno através de equipamentos próprio do aparelho”, explicou, ao Voz Ribatejana, Bruno Pereira, adjunto de comando da corporação samorense.

“Trata-se de um equipamento totalmente suportado pelo CB Samora Correia, no seguimento de uma aquisição do Serviço Municipal de Protecção Civil também de um drone (gama alta, equipado com câmara térmica). Irá ser operado por um grupo restrito de elementos, que já se encontra a aguardar datas para formação específica com certificação Europeia.

Formação esta dada por empresa internacional certificada”, observou o responsável, vincando que, “no contexto específico da sua utilização e desde que bem adequado a cada situação, será uma ferramenta de grande utilidade,

com capacidade para transmitir em livestream através de um servidor dedicado especifico da marca para uma sala de decisão ou posto de comando". Os Bombeiros de Samora Correia, dada a importância e mais valia dos drones,

compraram este recente equipamento por considerarem fundamental nas suas áreas de abrangência e competência. O Voz Ribatejana apurou que, tendo em conta a passagem de aviões por vezes na zona e também a presença do Campo de Tiro de Alcochete e o Depósito Geral de Material da Força Aérea (DGMFA)

e a OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal em Alverca que testam aeronaves na região, "o equipamento adquirido respeita todas as zonas interditas de voo, mas sempre que necessário e devidamente articulado, sim, poderá intervir nessas zonas, o drone possui um dispositivo de identificação de aeronaves que emite um alerta bem como localização de qualquer aeronave que se aproxime.

O equipamento estará afecto a um VCOT, mas poderá ser solicitado para ocorrência fora da nossa zona tal como qualquer equipamento específico que o nosso corpo de bombeiros dispõe", acrescentou Bruno Pereira.

Saiba mais na edição impressa de 02 de setembro do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações