• Joel Balsinha

Testes deram negativo na Casa S. Pedro


Os familiares dos utentes da Casa São Pedro podem estar com os seus entes queridos, através das denominadas "visitas cirúrgicas", a uma distância segura, no jardim da instituição. Este mecanismo foi instituído pela instituição alverquense a partir de dia 25

de Abril. Os novos testes a 103 idosos e dez funcionários deram negativo. "Neste momento, desde o dia 25 de Abril, estamos a permitir "visitas cirúrgicas". São visitas que se efetuam no nosso jardim, com uma distância segura e que permitem aos familiares, que previamente foram contatados pelas diretoras técnicas e com a

supervisão da equipa médica, verem, durante 10 a 15 minutos, os seus entes queridos", explicou Luciana Nelas, presidente da direção da Casa S. Pedro, ao Voz Ribatejana, reconhecendo a importância do trabalho desenvolvido pelos seus colaboradores. "Essa é a nossa obrigação. Em certas alturas, uma palavra de reconhecida gratidão, faz

milagres. Foram efetuados, nos dias 29 e 30 de Abril, testes a 103 utentes e 10 colaboradores, sendo os seus resultados negativos. Esta iniciativa é, sem dúvida muito importante, porque permite antecipar procedimentos em casos positivos e assintomáticos, que de outra forma se continuariam a propagar", desenvolveu a

responsável da instituição de Alverca. Recorde-se que as visitas ao interior da Casa de S. Pedro estavam proibidas, desde o passado dia 6 de Março, por uma questão de precaução e que, no final do mês de Abril voltaram a ser possíveis, no entanto só com as devidas precauções tomadas e cumprimento das regras aplicadas e

descritas pela diretora. A Casa S. Pedro acolhe pessoas com uma média de oitenta anos. Muitos residentes apresentam graves situações de locomoção, demência, dependência, doenças crónicas, AVCs e Alzheimer. Do número total de pessoas em regime de internato há vinte e cinco camas na Unidade de Demência e vinte e uma na

Unidade das Grandes Dependências. De acordo com o indicado anteriormente por esta entidade, ao centro de dia da instituição recorrem 88 idosos e a Casa S. Pedro dá apoio a 50 pessoas em apoio domiciliário. Os seus 130 trabalhadores apoiam todos os associados do lar de terceira idade do concelho ou fora do mesmo. Estes

colaboradores continuam agora, tal como no passado, a desenvolver atividades junto da comunidade idosa, para que estejam ocupados, "embora com maiores distâncias e maiores cuidados. Foi criada a obrigatoriedade de haver contatos entre utentes e famílias, através das novas tecnologias, para que assim se possa contribuir para uma

diminuição da saudade e da ansiedade, absolutamente naturais. Curiosamente, os nossos utentes aceitam melhor esta ausência de visitas que os seus familiares. Sentem falta, mas a ansiedade é menor", concluiu Luciana Nelas da Casa de S. Pedro em Alverca.

Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana e da Vida Ribatejana

Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações