• Jorge Talixa

Presidentes de câmara defendem gestão do Hospital


Os presidentes dos cinco municípios servidos pelo Hospital Vila Franca de Xira subscreveram um comunicado conjunto, divulgado esta segunda-feira, em que “criticam duramente” a forma como os serviços deste Hospital foram “retratados”, na sequência da deliberação da Entidade Reguladora da Saúde (ERS) divulgada no dia 28 de Maio. Os cinco autarcas (quatro do PS e um da CDU) afirmam que “não corresponde à realidade o que tem sido

noticiado sobre as condições de internamento de utentes, representando essas campanhas de desinformação uma tentativa de denegrir a imagem desta unidade de saúde”. Recorde-se que, com base nas conclusões da deliberação da ERS, foi noticiado que utentes do Hospital teriam sido internados em “refeitórios” e “casas-de-banho”. A empresa que gere o Hospital, ligada ao Grupo Mello, garante que nunca internou ninguém numa casa

de banho e que os “refeitórios” referidos são salas que no projecto original estavam destinados a esse fim, mas que foram, entretanto, devidamente adaptadas para internamento de doentes, com conhecimento e concordância da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). O Hospital serve 250 mil utentes dos concelhos de Alenquer, Arruda, Azambuja, Benavente e Vila Franca, mas está frequentemente com a sua

capacidade de internamento (313 camas) esgotada. De acordo com os seus responsáveis necessitaria de pelo menos mais 60 camas, até porque tem, normalmente, cerca de 40 utentes com alta atribuída, mas que permanecem no Hospital por falta de resposta da Segurança Social ou porque as suas famílias não os vão buscar. Os cinco presidentes de Câmara da região sustentam que “esta tentativa de prejudicar a imagem desta unidade

hospitalar pública, gerida através de um modelo de parceria com gestão privada que tem sido classificada entre as melhores do Serviço Nacional de Saúde (SNS), produz junto das populações inquietações que em nada beneficiam a tranquilidade exigida aos serviços de saúde e o respeito pelos seus profissionais”. Adiantam, ainda, que, “com a preocupação de tranquilizar as populações da área de influência do Hospital Vila Franca de Xira de

que são representantes eleitos, entendem ser necessário esclarecer a opinião pública de que a resposta que o hospital tem dado às populações é muito positiva e que os munícipes estão satisfeitos com os cuidados de saúde prestados”. Recorde-se que a Câmara de Vila Franca de Xira já manifestara a sua “estranheza” pela divulgação desta deliberação três dias antes do prazo limite para que o Ministério da Saúde se pronunciasse sobre a

renovação ou não, por mais dez anos, desta PPP. No dia 1 de Junho, a ARSLVT anunciou que o Governo decidira não promover essa renovação por 10 anos e propor ao Grupo Mello uma prorrogação do contrato de gestão apenas até 2023 ou 2024. Os autarcas dos cinco concelhos servidos pela unidade hospitalar exortam, ainda, o Governo “a tomar as necessárias medidas, tendentes à ampliação das instalações do hospital”.

Saiba mais na Edição impressa de 19 de Junho do Voz Ribatejana

Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações