• Jorge Talixa

Vilafranquense garante subida histórica à II Liga


Foi preciso sofrer durante mais de 120 minutos, mas a União Desportiva Vilafranquense garantiu, este domingo, uma subida histórica à II Liga do futebol nacional. A equipa de Vila Franca de Xira bateu a União de Leiria por 4-2 no desempate por grandes penalidades e a festa foi grande no Campo do Cevadeiro com centenas de adeptos a invadirem o relvado. No próximo fim-de-semana, o Vilafranquense disputará, ainda, a final do Campeonato de

Portugal com o Casa Pia. Pela primeira vez na sua história, a União Desportiva Vilafranquense vai disputar a II Liga do futebol nacional. Depois do bom empate a um golo conseguido, na semana passada, em Leiria, o zero a zero seria, agora, suficiente para a equipa ribatejana. O jogo foi algo quezilento e logo na primeira meia hora as duas equipas foram obrigadas a fazer substituições por lesões do avançado Ernest (Leiria) e do central João Freitas

(UDV). Já no segundo tempo, o Vilafranquense entrou melhor e o médio Kelvin fez o 1-0 aos 59 minutos, na sequência de um canto. Pouco minutos depois, a União de Leiria chegava ao empate no lance mais polémico do jogo. Também na sequência de um canto, o guardião Nelson Pinhão terá sido carregado por dois jogadores contrários, mas o árbitro deixou seguir e os leirienses empataram. Seguiu-se uma hora de futebol com muita

emoção, com muitas paragens, mas sem golos. Com um resultado igual ao da primeira mão foi preciso recorrer ao prolongamento e aí, já com muito desgaste nas pernas, as oportunidades de golo resultaram quase sempre de lances de bola parada. Foi preciso, então, recorrer às grandes penalidades e o Vilafranquense foi mais competente. Ragner foi o primeiro a rematar e acertou no poste. Temeu-se o pior, mas Nelson Pinhão travou logo a

seguir o remate de Carlos Daniel. Seguiram-se duas grandes penalidades convertidas para cada lado (marcaram Kelvin e Marco Grilo para a UDV). Depois, Luís Pinto converteu para os ribatejanos e o central leiriense João Miguel atirou muito por cima da barra. Wilson, avançado do Vilafranquense, tinha, então, nos pés o remate decisivo e não tremeu, fez o 4-2 e garantiu a subida da equipa de Vila Franca à II Liga. A festa foi grande no relvado, nas bancadas e, depois, nas ruas da cidade.

Saiba mais na Edição impressa de 19 de Junho do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações