• Jorge Talixa

Vilafranquense reduzido a nove perde com Mafra


Numa partida em que até entrou muito bem e esteve a ganhar, a União Desportiva Vilafranquense ficou reduzida a nove elementos e acabou por perder por 1-2 com o Mafra. A arbitragem foi muito contestada pela equipa e pelos adeptos do Vilafranquense, que tem agora a vida mais complicada no Campeonato de Portugal.

Mudou tudo à passagem do minuto 71, quando o árbitro José Rodrigues, na sequência de um livre, descortinou uma falta de um defesa de Vila Franca dentro da área e marcou grande-penalidade. A decisão gerou enorme contestação e resultou na exibição de cinco cartões amarelos e dois vermelhos. Primeiro foi Luquinhas a ver o cartão, depois João Freitas foi expulso com duplo amarelo e o capitão Anta também protestou e acabou por ter o mesmo destino - expulso com duplo cartão amarelo.

O Vilafranquense até realizou, provavelmente, a melhor primeira parte do campeonato. Num jogo entre os dois primeiros colocados, a equipa ribatejana entrou pressionante e rápida sobre a bola e nos primeiros oito minutos criou três oportunidades flagrantes de golo, uma delas com um remate de Luís Pinto à trave. O Mafra parecia retraído e foi com naturalidade que Diogo Izata, à passagem do minuto 19, fez o 1-0, beneficiando de um ressalto dentro da área.

Até perto do final do primeiro tempo, o Vilafranquense continuou a dominar e ao minuto 35 Luís Pinto voltou a falhar por pouco, acertando desta vez no poste direito. Mas as coisas começaram a mudar ao minuto 42, quando um cruzamento da esquerda foi mal cortado pela defesa ribatejana e Bruninho, o melhor marcador da Série D, soube aparecer no local certo e fazer o tento da igualdade.

Na segunda parte, o Mafra refrescou o ataque e equilibrou mais a contenda. E, ao minuto 71, a grande-penalidade, convertida também por Bruninho, deu um “golpe” final no Vilafranquense, que jogou mais de 20 minutos com menos dois elementos em campo. A equipa ribatejana mostrou garra e conseguiu mesmo assim criar perigo, mas não chegou à igualdade.

O próprio guarda-redes Carlos esteve perto de marcar, num remate de meio campo que quase surpreendia o guarda-redes contrário. Para a história fica a derrota por 1-2 e um panorama mais complicado nesta Série D do Campeonato de Portugal para o Vilafranquense, que tem agora apenas dois pontos de vantagem sobre o Praiense e joga no próximo domingo em Angra do Heroísmo frente ao Lusitânia.

Saiba mais na edição impressa de 14 de Março do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações