• Jorge Talixa

Variante rodoviária de sete milhões avança em Arruda


O concurso público para a execução da Variante Rodoviária Externa à Vila de Arruda dos Vinhos foi lançado, na tarde de quarta-feira, numa cerimónia que contou com a presença do ministro Pedro Nuno Santos e dos secretários de Estado das Infraestruturas e da Habitação.


Trata-se da primeira obra rodoviária financiada no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) lançada em Portugal, num investimento que deverá rondar os 7 milhões de euros. Os trabalhos deverão arrancar em 2022, com um prazo de execução de 450 dias.


A Variante à Vila de Arruda vai ter uma extensão de 2, 3 quilómetros, com início na Zona Industrial das Corredouras e ligação à Estrada Nacional 248, próximo do cemitério da vila. Pretende retirar muito do trânsito pesado que ainda atravessa as artérias do centro histórico de Arruda e melhorar as ligações da zona


industrial às estradas nacionais 248 e 115-4 e à Auto-Estrada 10. António Laranjo, presidente da Infraestruturas de Portugal, observou que as vias actualmente existentes obrigam a um percurso “sinuoso” e que a nova variante vai dar resposta às necessidades das actividades comerciais e industriais.


“Vai dar resposta ao quadro de desenvolvimento económico de toda esta zona e vai potenciar, não só o tráfego de pessoas, como de mercadorias, diminuindo o tráfego que atravessa diariamente a vila de Arruda”, sublinhou António Laranjo, acrescentando que o projecto contempla a construção de quatro rotundas e de

um viaduto de cerca de 300 metros sobre o Rio Grande da Pipa. Já André Rijo, presidente da Câmara de Arruda, salientou que este era “um dia muito feliz” para o concelho, com um passo decisivo para a concretização de uma ambição que tem mais de 30 anos.


“Esta obra permite que Arruda tenha capacidade de se desenvolver, tornando a circulação rodoviária mais fácil e mais rápida e permitindo que os pesados não tenham que fazer a travessia da vila. E isso traduz-se, também, no aumento da qualidade de vida dos arrudenses”, salientou,


frisando que este será o maior investimento de sempre do Estado central no concelho, contando com uma comparticipação de um milhão de euros do Município. O ministro visitou, ainda, as obras de requalificação do Bairro Social João de Deus, um dos primeiros projectos aprovados no âmbito do programa 1º. Direito, que contempla 31 fogos de habitação social. Entre as novas moradias que substituem as habitações do


antigo bairro e o novo edifício com 16 fracções surge, assim, uma nova rua, a que foi atribuído o nome de Germano Peixinho da Costa, antigo pintor da construção civil e chefe dos Bombeiros de Arruda já com 102 anos de idade, e um dos primeiros habitantes deste bairro.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações