• Jorge Talixa

Problema informático gerou filas e protestos na vacinação


Centenas de pessoas, entre convocados e acompanhantes, aglomeraram-se durante boa parte da passada quarta-feira nos acessos ao Centro de Vacinação de Vila Franca de Xira. Ouviram-se muitos protestos e largas dezenas de idosos esperaram perto de duas horas para receberem a sua vacina (foto 1).


O problema foi atribuído pela tutela da saúde a falhas informáticas, que terão sido entretanto resolvidas. Nesta quinta-feira, o centro de vacinação voltou a funcionar com uma fluidez normal (foto 2). Os protestos cresceram ao principio da tarde de quarta-feira, com muitos familiares a considerarem inaceitável “obrigar”


idosos, em muitos casos com mais de 80 anos, a mais de uma hora de espera no exterior do Pavilhão Multiusos do Cevadeiro. O dia, de algum modo invernoso, com vento e alguma chuva, também não ajudou e a falta de bancos para os idosos poderem suportar melhor a espera foi outra das falhas apontadas.


Problemas deste tipo já se tinham verificado em Vila Franca nos dias 9 e 12 de Abril. Na altura, os utentes protestaram, a Câmara “pressionou” a Administração Regional de Saúde (ARS) e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) e foram tomadas algumas medidas de reforço dos meios clínicos de apoio e de


organização de filas de acesso específico por horas, para reduzir as aglomerações. Mas os problemas repetiram-se na quarta-feira. Alguns utentes atribuíam, também, a situação ao facto de terem sido convocadas 900 pessoas para vacinar no mesmo dia. A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale


do Tejo confirma, em resposta ao Voz Ribatejana, que foram convocadas 900 pessoas para vacinação, mas sustenta que o Centro de Vacinação Covid (CVC) vila-franquense “tem capacidade para vacinar um máximo de 1.100 pessoas por dia”. Já a Câmara de Vila Franca de Xira, também em resposta ao Voz Ribatejana,

refere que o CVC vila-franquense “tem uma capacidade instalada para vacinar 900 utentes por dia”, mas que, tal como aconteceu recentemente na vacinação dos profissionais da educação, essa capacidade “pode ser aumentada para as 1.200 vacinas por dia, alargando o seu horário de funcionamento”.


O gabinete de comunicação da ARSLVT, citando a direção executiva do ACES do Estuário do Tejo, reconhece que ocorreram “alguns constrangimentos no funcionamento do sistema informático do CVC de Vila Franca de Xira”, mas garante que os serviços da Administração Regional de Saúde


“procuraram solucionar o problema o quanto antes” e que “as equipas presentes no local informaram os utentes, procurando minorar o impacto desses constrangimentos”. A Câmara de Vila Franca afiança que, através do Serviço Municipal de Proteção Civil, acompanha “em permanência” a atividade do Centro de


Vacinação instalado no concelho, “o qual tem estado a funcionar, na maior parte dos dias, com total normalidade e sem que se verifiquem quaisquer filas ou aglomerados de pessoas”. Nesta quarta-feira, segundo a Câmara, terão ocorrido problemas ao nível do sistema informático que


“condicionaram fortemente o acesso aos dados dos utentes, limitando o normal decurso da vacinação”. A edilidade sublinha, também, que tem dado apoio à instalação e funcionamento do CVC, mas que “não tem responsabilidade direta no processo de vacinação”.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações