• Joel Balsinha

Bombeiros alertam para falso peditório


Os Bombeiros Voluntários de Alenquer alertaram para a existência de um falso peditório que estará a ser feito em nome da sua instituição na área do concelho alenquerense e da freguesia da Castanheira do Ribatejo, no concelho vizinho de Vila Franca de Xira. O caso já foi participado à GNR.


"Foi-nos comunicado que está a decorrer junto à Castanheira do Ribatejo um peditório, alegadamente para uma ambulância para a nossa associação. A ser assim, tal não corresponde à verdade. A nossa associação não tem por método realizar peditórios e se decidir fazê-lo informará devidamente",


transmite, numa breve nota, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alenquer (AHBVA). Esta entidade, que tem o quartel-sede em Alenquer e secções em Olhalvo e na Abrigada, vê-se, agora, confrontada com esta situação. Os seus voluntários prestam serviço de prevenção, proteção, socorro,


sensibilização e apoio junto da comunidade e arredores há 82 anos. O Voz Ribatejana falou com o comandante dos bombeiros de Alenquer, Rodolfo Batista, que explicou que a corporação foi alertada no dia “por várias pessoas que foram abordadas por eles. O peditório de que temos conhecimento ocorreu também


em Alenquer. Efetuámos um comunicado na nossa página dos Bombeiros e apresentámos, de imediato, queixa na GNR de Alenquer", explicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Alenquer, acrescentando que "os Bombeiros Voluntários de Alenquer não efetuam peditórios. Não sabemos quem é, sabemos sim que


usam o nome dos Bombeiros. Vejo este tipo de ações como repudiantes e condenáveis, usando o nome dos Bombeiros que, como sabem, toda a comunidade estima e louva, razão essa pela qual eles sabem que as pessoas efetuam donativos. É muito triste e mais ainda quando estas pessoas,


ao serem abordadas pela GNR, apresentam autorizações, mesmo sendo ilegal uma vez que as mesmas não estão devidamente identificadas (conforme manda a lei) e continuam a efetuar esta irregularidade", lamenta. Já Luís Almeida, presidente da Junta da União de Freguesias de Castanheira e Cachoeiras,


constata que "é muito raro existirem peditórios do género na área da freguesia” e que a Junta de Freguesia nunca teve conhecimento de pedidos de autorização para que sejam efectuados.


Saiba mais nas edições impressas do Voz Ribatejana


Tags:

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações