• Jorge Talixa

“Linhas de Torres” já são monumento nacional


As “Linhas de Torres Vedras” que, no início da primeira década do século XIX, impediram a entrada das tropas francesas de Napoleão na capital portuguesa foram, esta semana, classificadas como Monumento Nacional. A proposta da Direcção-Geral do património Cultural foi aprovada, na quinta-feira, em reunião do Conselho de Ministros e abrange 114 estruturas militares distribuídas pelos concelhos de Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra,

Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira. A candidatura integrava 128 estruturas como fortes e estradas militares, das primeira e segunda linhas defensivas. Destas, 114 foram classificados, tendo 14 ficado de fora por se encontrarem “degradadas ou destruídas”. Além da classificação como património nacional, vai ser criada uma zona especial de proteção em volta de cada uma destas estruturas. Os seis municípios envolvidos

criaram, há alguns anos, a Rota Histórica das Linhas de Torres - Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras, que tem “insistido na salvaguarda deste património” e na sua valorização para fins culturais e turísticos. Em 2012, o Turismo de Portugal atribuiu à Rota Histórica das Linhas de Torres (RHLT) o Prémio de Melhor Projeto Público de Requalificação, considerando que “contribuía para a qualificação do turismo

nacional e para a notoriedade de Portugal como destino turístico de excelência”. Já em 2014, foi a vez da União Europeia e da Rede Europa Nostra distinguirem o trabalho realizado pela RHLT, com o prémio Conservação. No mesmo ano, a Assembleia da República deliberou, por unanimidade, instituir o dia 20 de outubro como o Dia Nacional das Linhas de Torres, numa homenagem à memória e resistência do povo português aliada à estratégia e engenharia militar.

Saiba mais na Edição impressa de 27 de Março do Voz Ribatejana

Contador de Visualizações