• Jorge Talixa

Alverca empata em casa, Vilafranquense bate Mação


O Futebol Clube de Alverca confirmou melhorias, mas desperdiçou várias oportunidades e acabou por empatar a zero com o Oliveira do Hospital, em partida da vigésima-primeira jornada do Campeonato de Portugal disputada no domingo. Melhor esteve a União Desportiva Vilafranquense, que bateu o lanterna-vermelha Mação por 1-0. Depois de duas vitórias consecutivas, o Futebol Clube de Alverca (FCA) recebeu, no domingo, o Oliveira do Hospital, uma equipa bem organizada que está a fazer um bom campeonato e segue tranquila na sétima posição

da tabela. Os alverquenses tiveram vários períodos de domínio e criaram várias oportunidades, mas revelaram-se algo perdulários e acabaram por não ir além do zero-zero. Um empate que sabe a pouco, também no objectivo do FCA de sair dos lugares de descida, até porque se vão seguir partidas mais complicadas, como a visita ao terreno do Benfica e Castelo Branco, já no próximo domingo. O Alverca apresentou um onze quase completamante renovado e da equipa que disputou a primeira fase do campeonato apenas o médio Rafa Castanheira se manteve

como titular. No banco estavam, também, André Marques, Miguel Lopes e Semedo. Todos os outros doze elementos são novas contratações, no âmbito da reformulação do plantel encetada com a criação da nova sociedade anónima desportiva. O Alverca apresenta-se, de facto, como uma equipa mais consistente, mais rápida sobre a bola e mais pressionante. Mas, pela exibição do passado domingo, ainda revela algumas lacunas, sobretudo nas alas e no aproveitamento dos lances de bola parada. Na partida frente ao experimentado Oliveira

do Hospital, os alverquenses beneficiaram de perto de 20 pontapés de canto e de vários livres assinalados próximo da área adversária e em todas essas jogadas praticamente nunca criaram verdadeiro perigo. O Oliveira do Hospital tem uma equipa bem organizada e uma das boas defesas do campeonato (apenas 13 golos sofridos), mas neste jogo até revelou algumas falhas, primeiro pelo guardião Nando Pedrosa, que pareceu algo nervoso, e depois com algumas bolas perdidas pelos centrais. Em todas essas situações, os alverquenses não foram

suficientemente expeditos e não conseguiram marcar. Já o Vilafranquense sentiu algumas dificuldades para bater o lanterna-vermelha Mação e só ao minuto 65, pelo pé do regressado Luís Pinto (marcação de um livre), conseguiu materializar algum domínio de jogo. Três pontos importantes, depois de três jogos sem vencer, que deixam o Vilafranquense em terceiro lugar, a cinco pontos do líder União de Leiria. Na próxima jornada, a equipa de Vila Franca tem deslocação complicada a Loures.

Saiba mais na edição impressa de 13 de Fevereiro do Voz Ribatejana

Contador de Visualizações