• Jorge Talixa

Assembleia quer climatização na EB 2.3 de Samora


A Assembleia de Freguesia de Samora Correia aprovou, por unanimidade, uma recomendação em que exorta a Câmara de Benavente, a Junta de Samora e o Agrupamento de Escolas a tomarem medidas para que a Escola João Fernandes Pratas (EB 2.3) venha a ser dotada com equipamentos de climatização. O documento realça que, nas actuais condições, os cerca de 500 alunos e os professores e funcionários vivem situações de grande desconforto e que há mesmo relato de “indisposições” devido ao calor dos últimos dias. Construída há cerca de 30 anos, a Escola Básica dos 2º. e 3º. Ciclos João Fernandes Pratas de Samora Correia nunca dispôs de equipamentos de climatização. O problema manifesta-se mais com as baixas temperaturas do Inverno,

mas nos últimos dias também o calor tem provocado situações complicadas. A Assembleia de Freguesia de Samora Correia aprovou, por isso, uma recomendação à Câmara de Benavente, à Junta de Samora e à tutela da Educação para que tome rapidamente medidas no sentido de dotar o estabelecimento, frequentado por mais de 500 alunos, de equipamentos de climatização. “As salas não dispõem de equipamentos de climatização. No início do ano lectivo, com as temperaturas elevadas que se têm verificado, as salas de aulas da escola tornam-se insuportáveis para alunos e professores”, sublinha o documento, aprovado por unanimidade, frisando que “um espaço de aprendizagem deve ser agradável, cómodo e confortável”. A recomendação salienta, também, que,

“a situação das salas agravou-se após o corte das árvores que produziam sombra e atenuavam o efeito dos raios ultravioleta” - recorde-se que a decisão da direcção do Agrupamento de mandar abater, em Dezembro passado, 22 árvores existentes no recreio desta escola suscitou muita controvérsia. “Há relatos de indisposições de alunos, professores e pessoal não docente por golpes de calor e baixas de glicémia. Não estando prevista qualquer intervenção de fundo, é certo que o problema da ausência de climatização se agravará com as amplitudes térmicas cada vez mais acentuadas e com elevadas temperaturas prolongadas para lá do período oficial de Verão”, prossegue o documento que recolheu votos favoráveis dos eleitos da CDU, PS e PSD,

reconhecendo que a competência de gestão da Escola é do Agrupamento tutelado pelo Ministério da Educação. “Aproxima-se o Inverno com baixas temperaturas que causam, também, desconforto e desconcentração nos alunos. Parece-nos que a urgência da situação merece que a Câmara de Benavente e a Junta de Samora Correia analisem a possibilidade de realizar intervenções céleres que possam minorar o desconforto dos alunos, professores e pessoal não docente”, defende a recomendação da Assembleia samorense.

Saiba mais na Edição impressa de 17 de Outubro do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações