• Jorge Talixa

Vento volta a levantar parte da cobertura das piscinas


O vento forte que se tem verificado nas últimas semanas voltou a provocar danos graves na cobertura das Piscinas Municipais de Vila Franca de Xira, com o levantamento de pelo menos duas telhas. A situação obrigou à suspensão do funcionamento do complexo e a Câmara admite algumas dúvidas se avança desde já com uma reparação de fundo ou apenas com uma solução provisória.

Já tinha acontecido em Dezembro e voltou a acontecer nos primeiros dias de Março, com o vento forte a arrancar duas das telhas de fibra de vidro da cobertura das Piscinas de Vila Franca de Xira. O funcionamento do complexo teve, por isso, que ser suspenso até que a cobertura fique reparada. Segundo o executivo camarário, as obras terão início no decorrer da próxima semana e deverão ficar concluídas no prazo de um mês, mas a sua concretização será sempre influenciada pelas condições climatéricas.

A questão foi colocada na última sessão camarária pela vereadora Sara Vargas (CDU), que quis saber que medidas vai o executivo municipal tomar. “Houve um novo abatimento da estrutura superior das Piscinas de Vila Franca de Xira, que levou à suspensão das aulas e das actividades nestas mesmas piscinas. Esta cobertura tem dado diversos problemas. O problema de fundo mantém-se e já foi reconhecida pelo executivo a necessidade de encontrar uma solução definitiva”, salientou a eleita da CDU.

Alberto Mesquita, presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, admitiu que o executivo municipal tem ainda algumas dúvidas sobre os próximos passos a dar. “Não sabemos bem qual a decisão a tomar. Por um lado temos a possibilidade de comparticipação de fundos comunitários no âmbito da eficiência energética, que nos permitiriam colocar uma cobertura nova. Por outro, temos as dificuldades que têm surgido com as intempéries que têm dado problemas naquela cobertura”, observou o edil, vincando que uma reparação de fundo já com o IVA custará algo na ordem dos 100 mil euros.

“Será que não vale a pena aguardar pela candidatura e usufruir daí dos fundos comunitários? Em termos de gestão, a minha opinião é que sim. Agora, quem frequenta as piscinas é capaz de não ter o mesmo entendimento”, reconhece o presidente da Câmara, explicando que, para já, vai avançar uma reparação provisória, tal como aconteceu em Janeiro.

Saiba mais na Edição impressa de 14 de Março do Voz Ribatejana

Leitura Recomendada
Procurar por Tags
Siga o Voz Ribatejana
  • Facebook - Black Circle
Facebook
  • YouTube - Black Circle
YouTube
Arquivo do Site

Contador de Visualizações